Os milionários mais muquiranas da história

milionarios

Apesar de toda a fortuna que possuíam, eles viviam como mendigos gastando o meno possível que pudessem.

1. Hetty Verde

Mais conhecida como o “Bruxa de Wall Street” foi a mulher mais rica do século XIX. Quando morreu, em 1916, sua fortuna era quase 200 milhões. Ela dizia que sua fortuna se devia ao fato de ser muito cuidadosa e nunca ter ajudado os necessitados. Em uma ocasião, seu filho quebrou a perna e, em vez pagar o tratamento, ela tentou consguir atendimento em um hospital para os pobres.

Hetty verde

2. Jean Paul Getty

Este homem construiu a sua fortuna durante a Grande Depressão. Com o passar do tempo, passou a ter participações em mais de 200 empresas, até que em 1966 o Guinness, o Livro dos Recordes, nomeou-o o cidadão mais rico do mundo. Em sua casa ele tinha um telefone público e se recusou a pagar um resgate de 17 milhões de dólares em troca da liberdade de um de seus netos. Quando os sequestradores enviaram a orelha do menino, com toda a dor em seu coração que ele pagou 2,2 milhões. Quando ele morreu em 1976, sua fortuna era de 2 bilhões de dólares.

Jean Paul Getty

3. John Elwes

Ele tinha uma fortuna de mais de 28 milhões nos dias de hoje, mas vivia como um homem pobre em uma casa em ruínas. Suas roupas eram feitas de trapos e quase sempre ia dormir ao por do sol para não gastar com velas. Na verdade, ele foi a inspiração para Charles Dickens para criar Ebenezer Scrooge, em seu livro Um Conto de Natal.

John Elwes

4. Wellington R. Burt

Ele morreu em 1919, aos 87 anos de idade, como um dos homens mais ricos da América, com uma fortuna estimada em US $ 100 milhões. Mas ele não queria que sua família herdasse o dinheiro tão facilmente assim, e por isso resolveu colocar uma cláusula em seu testamento afirmando que sua fortuna só seria dada aos seus descendentes 21 anos após a morte de seu último neto. O último sobrevivente da terceira geração morreu em 1989, de modo que seus descendentes, os bisnetos, dividiram a sua fortuna finalmente.

Wellington R. Burt

5. Ingvar Kamprad

O fundador da IKEA, uma empresa dedicada a construção e venda de imóveis, é uma das pessoas mais ricas do planeta. Sua fortuna é estimada em 6 bilhões de dólares. Mesmo assim, ele ficou por 15 anos dirigindo um Volvo, voadno em classe econômica e reciclando saquinhos de chá! Na década de 70 ele mudou a sua residência para a Suíça, um país famoso por ser um paraíso fiscal.

Ingvar Kamprad

6. Os irmãos Collyer

Homer e Langley Collyer viveram a vida juntos em uma casa em Nova Iorque. Eles temiam intrusos e se tornaram eremitas cobrindo as janelas e colocando armadilhas para impedir o seu roubo. Por não pagarem as suas contas tiveram cortado a água, a luz e o gás. Quando eles morreram em sua casa, havia 130 toneladas de lixo. Seus bens foram avaliados 1,2 milhões de dólares correntes.

Os irmãos Collyer

7. Miguel Angel

Apesar de ser em grande artista como pintor e escultor, e ser muito bem pago, o mestre renascentista Michelangelo viveu sua vida como um mendigo. Quando ele morreu, deixou uma propriedade de 50.000 florins (cerca de 55 milhões de dólares), superando a riqueza dos gostos de Leonardo Da Vinci.

Miguel Angel

8. Efraim Lopes Pereira d’Aguilar

Era um nobre austríaco que se tornou barão após a morte do seu pai em 1759. Ele herdou uma fortuna e viveu em Londres em uma mansão com 20 funcionários, mas gradualmente se tornou uma pessoa miserável e passou a viver em uma casa pequena. Antes de morrer, ele escondeu sua fortuna de 3 bilhões de dólares, de modo que suas filhas tiveram que encontrá-la.

Efraim Lopes Pereira d'Aguilar

9. Andrew Carnegie

Apesar de ter uma fortuna de 3 bilhões de dólares, este homem de negócios escocês em 1835 era conhecido por ser um tremendo pão-duro . Ele veio para a América quando ele era muito jovem e ali fez sua fortuna na indústria do aço, mas também cresceu sua ganância. Mas no final da sua vida, se arrependeu de suas atitudes e tornou-se um filantropo fundando mais de 3.000 bibliotecas e promoveu o desenvolvimento científico.

Andrew Carnegie