Coisas que foram inventadas com fins totalmente diferentes

Estamos acostumados a acreditar que tudo tem um fim. Mas muitas coisas inicialmente foram criadas com um outro propósito. Essa pesquisa irá revelar o propósito original de algumas das coisas que conhecemos.

Coca-Cola

O farmacêutico John Pemberton, um veterano da Guerra Civil nos Estados Unidos, criou um xarope feito de nozes de cola e folhas de coca. Ele recomendou o remédio para pessoas com problemas digestivos e assim se sentirem com mais energia. Então ele decidiu parar de produzir a sua bebida em massa e vendeu suas ações. Após isso, os novos proprietários começaram a produzir a “Coca-Cola”, com folhas de coca e cocaína purificada.

Vestido Preto

Até os anos 20 do século passado, ternos pretos foram usados por homens e mulheres para expressar seu luto, e era usado por 2 anos pelo menos. Mas Coco Chanel em 1926, criou em memória de sua amada o famoso vestido preto “Chanel´s Ford”. Primeiro vestiu as divas do cinema, e em seguida, o vestido se tornou popular em todo o mundo.

Karaokê

O japonês Daisuke Inoue, um baterista de uma banda de rock, começou a tocar música para os clientes que queriam cantar nos intervalos entre as apresentações da sua banda. Um dia, não pôde comparecer e deu a seus companheiros uma gravação em uma fita cassete do seu número musical. E em 1971, ele inventou um dispositivo que tocava música sem palavras. Os músicos estavam descansando, e o público cantou com muito entusiasmo.

 

O composto de PLAY-DOH

Inicialmente, esta substância foi usada para limpar o papel de parede em casas com chaminés onde a fuligem ficava acumulada nas paredes. Mas logo, eles começaram a desenvolver os estofos de papel de vinil que é facilmente lavado com uma esponja e a invenção perdeu seu valor. No entanto, um parente do inventor, uma educadora infantil deu este material às crianças para que pudessem ser moldadas. Eles ficaram encantados!

Esteira

O protótipo da primeira esteira, foi criada por William Staub em 1817 para corrigir os prisioneiros na moagem de grãos em um moinho. Foram conectados a uma haste um mecanismo que não saia do lugar que era movido pelos presos que andavam nela.

Papel autocolante

Spencer Silver estava trabalhando em uma substância pegajosa. Mas a cola não tinha força o suficiente, de modo que os objetos saiam facilmente. Em seguida, seu parceiro Art Fry tentou a aplicar a substância sobre os separadores que sempre caíam de seu livro de orações. Depois de um tempo, ele apareceu em lojas de notas de papel adesivas que é tão popular agora em todo o mundo.

Salto Alto

No Egito antigo, saltos altos eram um símbolo de nobreza: os nobres usavam estes sapatos para ritos religiosos. Homens e mulheres também usavam. Também açougueiros e cavaleiros, os quais os saltos ajudavam a manter a estabilidade enquanto disparavam suas armas. Na Europa medieval, os saltos eram um privilégio de aristocratas, mas depois começou a ser usado mais amplamente. E no século XX, finalmente foi inventado o famoso salto agulha.

Embalagem de bolha plástica

A famosa bolha de plástico foi criada pelos engenheiros Alfred Fielding e Marc Chavannes em 1957. Inicialmente eles estavam tentando criar um plástico dimensional, embora a ideia não tenha sido bem sucedida, eles descobriram que o novo material poderia ser usado para embalar. Logo depois, a Bubble Wrap patenteou a ideia que se tornou indispensável em diferentes campos.

Vaselina

Chá em Sachê

Em 1904, Thomas Sullivan, um vendedor de chá de Nova York, decidiu vender chá de forma mais eficiente: em sacos de seda. Os clientes vieram testar a novidade da sua própria maneira: eles não tomaram as folhas de chá do saco, mas imergiram-no na água quente. Como resultado, as vendas dispararam e a ideia foi desenvolvida.

“Listerine”

Os irmãos Johnson, em 1879, criaram este antisséptico para desinfetar as ferramentas dos cirurgiões. O nome do produto se derivou do cirurgião Joseph Lister . As pessoas começaram a usar o líquido em todos os lugares: para curar feridas, higiene bucal, caspa e fungos, e como um desodorante. O produto tornou-se popular em 1920 após o comercial de “Listerine”. No cartaz, uma garota aparece virando as costas para o namorado com mau hálito onde ela perguntou: “Posso ser feliz com ele, apesar disso?”.

Viagra

A Pfizer estava trabalhando na criação de um medicamento para doença cardíaca. No entanto, após testes clínicos provou-se que droga foi inútil nesse tratamento. Entretanto, durante a experiência, foi detectado um efeito colateral incomum: um substancial aumento da circulação sanguínea na área pélvica. Foi assim que surgiu o famoso “Afrodisíaco”.